Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Regional Nordeste IV lançou na manhã de terça-feira (05/05/2015), no Centro Diocesano de Pastoral Dom Expedito Lopes, na cidade de Oeiras, a 13ª edição da Romaria da Terra e da Água do Piauí, que este ano traz o tema “Direito dos Povos e Garantia de Vida e Paz”.

O evento que iniciou com um momento de mística contou com a presença de bispos, padres, representantes das pastorais sociais, associações, organismos, movimentos e poder público local. “Presenciamos aqui um evento de elevado valor para o estado do Piaui, onde ressaltamos mais esta experiência, que é a Romaria da Terra e da Água, em sua décima terceira edição. O regional está organizando a romaria com o intuito de envolver a todos, e a Diocese de Picos, vai se envolver também, até porque somos de uma região que sofre pelas consequências das atitudes negativas em relação ao apoio ao homem do campo”, disse o Bispo de Picos, Dom Plínio José Luz da Silva.

Durante a solenidade, foi explicado o que é a romaria, os objetivos, o hino, bem como sua simbologia de celebração ecumênica para transformação social. “A Romaria da Terra e da Água tem dois objetivos principais, o primeiro é anunciar e celebra a fé e caminhada do povo de Deus rumo a uma terra prometida; e o segundo é denunciar a falta de terra para produção de alimentos para milhares de famílias. Situação de injustiça, que ainda é muito vivo no nosso semiárido”, ressalta o assessor da Cáritas Brasileira Regional do Piauí, Carlos Humberto.

A Romaria deste ano será realizada nos dias 17 e 18 de outubro, na Diocese de Oeiras. O município, situado ao sul do Piauí, foi escolhido por ser palco de grandes projetos que afetam o meio ambiente e as famílias piauienses. De acordo com Dom Juarez Sousa, Bispo de Oeiras, é uma satisfação acolher o evento em sua Diocese, já que a romaria é, acima de tudo, um gesto profético. “Fico feliz, porque a primeira romaria que houve aqui participei como seminarista, e hoje, após 25 anos, tenho a alegria de participar como Bispo. Além disso, a romaria também tem o caráter profético, porque a profecia é o anuncia da Boa Nova de Jesus. Ela denuncia tudo aquilo que contraria o desejo da Boa Nova, sobretudo, uma atitude de volta e conversão que defende os mesmos valores que Jesus defendeu. E é isso que estamos fazendo”, disse.

O coordenador da Cáritas Arquidiocesana, Carlos Humberto, completa ao destacar as propostas do movimento, que este ano volta ao local onde foi realizada primeira edição.

“A Romaria faz parte da trajetória da Igreja no Piauí. Temos como objetivo anunciar e celebrar a fé, a caminhada do povo rumo à terra prometida, de justiça e de paz. Tem ainda como propostas denunciar a situação de injustiça no semiárido, pois sabemos que infelizmente, milhares de famílias vivem sem terra, sem produção de alimentos e sem água para sua sobrevivência”, pontua.