Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Dom Alfredo Schaffler 

Diocese de Parnaíba 

Na festa de “Corpus Christi”, proclamamos publicamente a nossa fé na presença real de Jesus na Eucaristia.

Esta presença misteriosa, porém real, nos sinais do pão de do vinho, nos lembra as palavras de Jesus ” Isto é o meu corpo”, “Este é o cálice do meu sangue”.

Na eucaristia se cumpre , de maneira especial, a promessa que Jesus fez aos Apóstolos e a nós: “eis que estarei convosco todos os dias até o final dos tempos”.

Ele está conosco como alimento, alimento espiritual, garantia de vida eterna: “Tomai e comei”,

E o Verbo que se fez carne fez da sua carne alimento para nós, para continuar sendo o Emanuel, o Deus Conosco, para o nosso bem e para a nossa Salvação.

Este é o verdadeiro pão descido do céu para a vida do mundo, quem come a sua carne e bebe o seu sangue tem n’Ele a vida em abundância, a vida eterna.

Esta solenidade nos lembra também a Eucaristia como sacrifício, isto é, como memorial do mistério da paixão, morte e ressurreição do Senhor, conforme rezamos após a consagração: “anunciamos, Senhor, a vossa morte, e proclamamos a vossa ressurreição”.

Na Eucaristia celebramos o mistério pascal, celebramos a nova e eterna aliança entre Deus e a humanidade.

Celebrar a Eucaristia também é celebrar a nossa comunhão com Cristo e por meio dele com Pai no Espirito Santo.

É celebrar, também a comunhão entre nós e com toda a Igreja.

Nós somos muitos, mas formamos um só corpo, o Corpo do Senhor, que é a sua Igreja.

Após a consagração afirmamos em forma de súplica: “ Vinde Senhor Jesus “.

A Igreja, a esposa de Cristo, diz ao seu amado ,

Vem Senhor Jesus, Venha para a comunhão perfeita conosco.

Nos meios de comunicação assistimos como a tocha olímpica está percorrendo o nosso país.

Multidões estão na beira das Estradas, uma explosão de alegria e entusiasmo toma conta das pessoas.

No horizonte está o acontecimento dos jogos olímpicos no rio de Janeiro.

Um importante evento, considerada a sua força educativa, que pode contribuir para a promoção da paz entre os povos, ajudar a cultivar o sentido de disciplina que é caminho para muitas conquistas.

A olimpíada traz um conjunto de lições e a tocha olímpica é o seu símbolo.

Sua luminosidade, que passa pelas ruas das cidades, atraindo a atenção da mídia e das pessoas tem poder simbólico que indica ser urgente carregar muitas outras tochas.

Jesus Cristo se auto proclama: eu sou a luz do mundo.

Jesus Cristo é uma tocha muito mais luminosa com sua Palavra da Boa Nova que dar um sentido a nossa vida.

Quantas pessoas passam pela escuridão na busca de um facho de luz.

Quantas pessoas enfrentam nuvens escuras que não encontrem uma saída nas encruzilhadas que estão marcadas pelas dúvidas e interrogações diante da dor e do sofrimento.

Será que não encontramos pessoas que estão apenas empurrando a vida porque estão percorrendo as estradas empoeiradas da vida sem entusiasmo e sem perspectivas, sem rumo e direção?

Jesus Cristo quer ser esta tocha para iluminar e mostrar que todos somos filhos amados de Deus.
Somos queridos por um Deus que possamos chamar de Pai.

Recebemos dons e talentos para construir um mundo em conformidade com os planos de Deus.

Um mundo onde sabemos conviver como irmãos, numa fraternidade que nos une numa verdadeira família.

A festa do Corpus Christi quer nos lembrar que temos uma verdadeira luz que possa iluminar a nossa vida, basta que a gente se abre para esta tocha.

Firme na fé e fiquem com Deus.

Imagem: Google