Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Lê-se no primeiro Livro dos Reis da Bíblia, que Salomão teve um sonho. Nele, Deus lhe disse: “Pede o que devo te dar” (1Rs 3,5).
O filho de Davi, humilde e realista, ponderou que era muito jovem e devia governar um povo numeroso.
Para ser um governante capaz de exercer bem suas funções, sentia necessidade de ter um coração sábio, capaz de julgar de forma correta as pessoas e de discernir o bem e o mal.
Tal pedido agradou a Deus, ainda mais que Salomão havia tido a oportunidade de lhe pedir uma vida longa, muita riqueza ou a morte de seus inimigos.
Assim, ele obteve não só “um coração sábio e inteligente“, mas também riquezas e glória como rei algum jamais teve (cf. 1Rs 3,13).
Penso que é hora de fazermos nossa a oração de Salomão: “Dai-nos um coração sábio, Senhor!”
Afinal, a incapacidade que muitos têm de discernir entre o bem e o mal, o certo do errado, e de julgar projetos e prioridades com sabedoria faz com que nosso mundo se torne cada vez mais ameaçador e desumano.
Segundo estudos de um grupo de médicos, economistas, cientistas e integrantes de organizações de defesa dos direitos humanos, a situação atual é mais do que preocupante: é alarmante.
Em três horas a humanidade gasta, somente com armas, o equivalente ao orçamento anual da Organização Mundial da Saúde em sua luta contra a varíola;
em cinco horas se gasta com fabricação de armas, o que a UNICEF destina, cada ano, para as crianças necessitadas;
em doze, uma quantia que seria suficiente para exterminar a malária e as enfermidades endêmicas em 66 países.
Mais: as verbas que os países dedicam anualmente à investigação médica é uma quinta parte do que é canalizado para estudos tecnológicos do setor militar.
Há outros dados: nos países em desenvolvimento há, em média, um soldado para cada 250 habitantes.
Quanto a médicos, um para cada 3 mil 700.habitantes
Até quando isso continuará assim?
Teremos perdido a capacidade de nos surpreender diante de tal inversão de valores ou está nos faltando o dom da sabedoria, essa capacidade de olhar o mundo e os homens com o olhar de Deus?
Bem lembra o Livro da Sabedoria: “Por mais perfeito que seja alguém… se lhe faltar a sabedoria que vem de Deus, de nada valerá” (Sb 9,6).
À medida que se multiplicam em nosso mundo os sinais de morte mais e mais é necessário :
Pedir ao Senhor: “Deus de nossos pais e Senhor de misericórdia, que todas as coisas criastes pela vossa palavra e que, por vossa sabedoria, formastes o homem para ser o senhor de todas as vossas criaturas, governar o mundo na santidade e na justiça, dai-nos a sabedoria que partilhamos a busca do bem que o mundo de hoje necessita.. “
“Somos, com efeito… homens  fracos, cuja existência é breve, incapaz de compreender vosso julgamento e vossas leis, porque qualquer homem, mesmo perfeito, entre os homens, não será nada, se lhe faltar a sabedoria que vem de Deus” (Sb 9,1-6);
Usar com sabedoria o direito de gritar, reclamar, participar e manifestar-se.
Ser cristão é participar.
Participar para construir um mundo diferente da violência e da mentira.
Somos capazes de construir um mundo onde o bem comum pode ser construído não com a força das armas, mas com a sabedoria que vem de Deus.
Firme na fé e fiquem com Deus.