Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Ainda não eram sete horas da manhã quando dezenas fiéis da nossa Igreja já marcavam presença na Quadra Esportiva do ginásio do Colégio ProCampus, que fica localizado no centro de Teresina. Logo após dava-se início as celebrações do Domingo de Ramos. Data do calendário católico que marca e rememora a entrada de Jesus em Jerusalém e nos remete ao momento de entrega de Jesus Cristo para a salvação da humanidade.

Com seus ramos de palmeira os fiéis católicos foram lembrados pelo Arcebispo Metropolitano de Teresina que aquele era o momento de repetir a atitude dos que acolheram Jesus com alegria, mantos e ramos como forma de renovar as esperanças.

“Esse é um tempo de escuta e de silêncio, para deixar Deus falar ao coração. Quando nós celebramos a Semana Santa, abrindo com o Domingo de Ramos, nós renovamos em nossos corações o grande convite para seguirmos os passos do Senhor até chegar no dia a dia, para nossa vida ser uma oferta e um dom para todos” disse.

Após o ato inicial ainda na quadra  com o rito da bênção a procissão seguiu pelas ruas do centro da nossa capital tendo como destino final a catedral de Nossa Senhora das Dores. Durante percurso seu Escórcio Soares que é funcionário público e integra a paróquia Nossa Senhora das Dores  refletiu sobre o significado e a importância de participar desse momento. “Aqui de fato damos início a Semana Santa, ápice da Quaresma. Esse é um momento da vida cristã católica que se prepara para celebrar a paixão, morte e ressurreição de Jesus, no Tríduo Pascal. A cada ano, os ramos são abençoados e guardados dentro de nossas casas como lembrança da Semana Santa, mistério de nossa fé”, reforça.

No caminho a procissão teve algumas paradas e a rua Joaquim Ribeiro virou um teatro a céu aberto. Jovens da Comunidade encenaram uma peça em que os fiéis foram convidados a refletir sobre o tema da Campanha da Fraternidade desse ano que é “Casa Comum, nossa responsabilidade”. Ali no meio da rua os atores possibilitaram aos peregrinos que seguiam em procissão reflexões sobre as mudanças de postura que devem ser adotadas no sentido de preservar o meio ambiente.

Após esse momento de encenação a procissão seguiu adiante e todo o público foi recebido na Catedral. Ainda na entrada o nosso Arcebispo fez menção a porta Santa, já que aquela casa abriga a porta do Ano Santo da Misercórdia. Dom Jacinto reforçou que “estamos passando aqui e deixando para trás tudo aquilo que não condiz com os ensinamentos do Pai. Fica para trás a não compaixão com os irmãos”.

Dhekson Marinho, que coordena a Casa Magis (espaço de evangelização para jovens e que conta com o apoio da comunidade Jesuíta) participou da celebração do Domingo de Ramos e explicou que para ele a grande lição deste momento que marca o início da Semana Santa é “a doação total do filho de Deus. Ele não foi interpretado da forma correta. Houve julgamentos. Mas a fé grandiosa dele permitiu que ele se perpetuasse como exemplo até os dias de hoje. Portanto estar aqui nesse momento é ter a certeza que o Rei veio para nos salvar”, finaliza.

Campanha
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Cáritas Brasileira promoveram ainda a Coleta Nacional da Solidariedade em todas as dioceses, paróquias e comunidades neste Domingo de Ramos.

Os recursos arrecadados constituem os Fundos Nacional e Diocesanos de Solidariedade, sendo que 60% da coleta permanecem na diocese de origem e 40% são destinados para o Fundo Nacional de Solidariedade (FNS).

Por Vera Alice Brandão