Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

As comunidades de fé da Arquidiocese de Teresina participaram no último domingo (19) da terceira Assembleia do Povo de Deus. O encontro reuniu representantes de diferentes setores da Igreja, que tiveram a oportunidade de definir as diretrizes da ação evangelizadora para o Ano Nacional do Laicato na Arquidiocese.

O momento teve como cenário o auditório Paulo VI, no Centro Pastoral e teve como pauta principal a apresentação do Documento 105 elaborado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. O documento busca suscitar a reflexão sobre a missão e ministérios dos leigos, em consonância com a Igreja, para um maior empoderamento dos leigos, assumindo seu papel e missão na Igreja e na sociedade. “É uma nova e atualizada síntese da participação dos leigos e leigas na Igreja e no mundo, conforme foi pedido pelo Concílio Vaticano II. Por isso temos certeza da importância desse momento que nos ajudará a compreender e  trabalhar as necessidades e as urgências da Igreja”, disse Graça Ferreira que é da equipe de formação do CNLB no Estado do Piauí e foi a responsável por conduzir a Assembleia.

“Os leigos sempre tiveram importância na Igreja, porém, a partir do Concílio , ganharam visibilidade e força eclesial, surgiram as pastorais sociais, as comunidades de base, as pastorais da juventude e outras expressões importantes. Um Sínodo sobre a missão dos Leigos teve como conclusão a Chirstifideles laici, exortação de São João Paulo II, da qual comemoramos 30 anos. O Ano do Laicato deve dar continuidade a este grande caminho, e atualizar as propostas da Igreja para o Laicato para que seja mais efetiva a sua presença na Igreja e no mundo. Os frutos, portanto, não deverão se restringir a este ano, mas abrir-se para o futuro”, afirmou o arcebispo Dom Jacinto.

O encontro apresentou ainda o planejamento diocesano de ações e formações que serão realizadas durante o ano de 2018. Todos tiveram acesso ao calendário elaborado para o Ano do Laicato. “Já são muitas as atividades de formação que são conduzidas: as semanas temáticas para os catequistas, para os ministros, as atividades da Pastoral Familiar, os estudos promovidos pelos Movimentos, e a própria catequese infantil e juvenil. Tudo isso será estendido num projeto mais amplo que contemple retiros, cursos, material didático, programas para todas as etapas da vida, e as necessidades específicas de cada grupo de cristãos. Não deverá ser um projeto de curto prazo, mas progressivo, enriquecido pela realização do Ano do Laicato. Vamos abraçar esse caminho com força e dedicação”, define Francisco Alves membro da CNLB Arquidiocesano.

Ao abordar o documento 105, Vanda Maria explicou que leigos são os cristãos batizados que não estão ligados como membros das Sagradas Ordens, mas foram incorporados a Cristo pelo Batismo. “Os cristãos leigos estão na linha mais avançada da vida da Igreja e devem ter uma consciência clara, não somente de pertencerem à Igreja, mas de serem e se sentirem como Igreja, isto é, a comunidade dos fiéis na terra em unidade com o Santo Padre, o Papa, e em comunhão com seus bispos. Sabemos que o leigo tem como vocação própria, procurar o Reino de Deus exercendo funções no mundo, no trabalho, mas ordenando-as segundo o plano e a vontade de Deus. Cristo os chama a ser sal da terra e luz do mundo e o leigo deve ser testemunha de Cristo onde o sacerdote não chega”, disse.

O Ano do Laicato tem início em todo o país com a Festa de Cristo Rei, dia 26 de novembro, mas a Arquidiocese de Teresina vai celebrar a data no dia 25 de novembro, às 17:00, na Catedral Nossa Senhora das Dores . Todos os cristãos, leigos e leigas, são convidados a participarem desse momento de fé.

Fonte: Setor de Comunicação da Arquidiocese de Teresina