Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Colegiado do CNLB se reúne em Aparecida, na casa de Retiro do Redentoristas, no período do dia 1º a 04 de maio, para preparação da Assembleia Nacional que acontece em agosto. Os membros do colegiado visitaram a Assembleia dos Bispos quando foram convidados a expor as propostas do texto a ser estudado em todas as dioceses durante o ano, até sua conclusão como Documento da CNBB. Representando o CNLB Regional Nordeste 4, participaram as leigas Aurenir e Wanda respectivamente, Presidente e Secretária do Conselho NE4.

Neste contexto, a Comissão Episcopal de Pastoral para o Laicato apresentou proposta de documento sobre os leigos durante a 52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil como tema prioritário da Assembleia, aprovado pelo Conselho Permanente da CNBB. Ouviu-se o testemunho de fé cristã e engajamento na Igreja de César Cuzman, membro do Conselho Nacional do laicato no Brasil. Destaca o zelo amor de sua família à Igreja. Herança recebida de sua mãe como líder de comunidades cristãs. Não saberia viver diferente o caminho que tem percorrido. Caminhar com Cristo, surpreender-se com Cristo e continuar a obra de Cristo. Destacou a sacramentalidade a partir do batismo o qual inclui o mesmo Espírito com carismas diferentes.

Sônia também se pronunciou dizendo procurar viver seu batismo abrindo os olhos diante dos desafios, sobretudo assumir a continuação da árdua missão de Cristo. Na sociedade o Conselho atua na consciência dos direitos e nas parcerias com a sociedade. Articulação permanente com os movimentos populares.

Panorama do futuro documento: A construção do Documento se dá a partir das tendências e aspirações do leigo no mundo. Nasce de um marco histórico-eclesial para o laicato e dos textos do Magistério desde o Concílio Vaticano II e os mais recentes, sobretudo da Igreja na América Latina. Um conceito inicial se dá com a noção de sujeito; do ponto de vista social e eclesial. Analise da sociedade social revelando uma tendência individualista e por outro lado resistindo e reproduzindo dentro da realidade eclesial as tendências globalizadas. Adota o método ver, julgar e agir; teologia do laicato; pratica e aplicabilidade pedagógica.

Duas linhas da fundamentação teológica: Fé e Vida presente na vida do leigo; mistério da encanação – para servir a deus elevar-nos em contraposição ao Deus que desce para humanizar. 2. Afirmação paulina da incorporação do fiel leigo pelo batismo (LG 31) e a vocação de todos à santidade. Primeira consequência crescer na consciência de ser igreja, segunda, essa nova consciência deve se manifestar e se concretizar, terceiro vêem os meios para concretizar essa nova mentalidade.