Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

 

Paz e Bem!

A Campanha da Fraternidade de 2018, neste tempo abençoado da Quaresma, tem suscitado muitas reflexões e debates. A superação da violência virá com a conversão e o perdão. Sem a afirmação dos valores que o Evangelho nos apresenta como essenciais – o amor, a fraternidade, o perdão, a verdade e a justiça – não teremos a paz tão desejada.  Na semana passada, lhe enviamos uma carta em nome do Conselho Permanente, solicitando a solidariedade de sua diocese para com os nossos irmãos e irmãs da Venezuela, atendidos pela Diocese de Roraima.  Dada a crescente gravidade da situação desses nossos irmãos venezuelanos, que continuam chegando a Roraima, nasceu, na reunião do Conselho Permanente, a sugestão de destinarmos também uma percentagem do Fundo Nacional de Solidariedade – FNS para a Diocese de Roraima, a fim de que seu serviço aos venezuelanos se prolongue o máximo possível. Em vista dessa sugestão, a Presidência tomou a decisão de destinar 40% do Fundo Nacional de 2018 para o serviço caritativo para com os venezuelanos. Naturalmente, essa inciativa da Presidência deverá ser confirmada pela Assembleia Geral. Seria bom que o caro irmão desse a conhecer essa decisão aos presbíteros e às comunidades de sua diocese.  Lembramos que a parte restante do Fundo Nacional de Solidariedade será para projetos que são analisados pelo Conselho Gestor. Entre os critérios para a aprovação de um projeto está a necessidade de uma carta de apresentação de um bispo. Pela sua especial importância, é preciso que a Campanha da Fraternidade, com a Coleta, seja cada vez mais apoiada, dinamizada e aprimorada, contando, para isso, com a colaboração e a participação dos Bispos, na próxima Assembleia Geral.  Neste tempo quaresmal, caminhemos com a cruz, certos de que o Crucificado nos transforma, oferecendo-nos esperança e paz. Em Cristo,