Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Comissão Pastoral da Terra (PI), CPT, lançou nesta segunda-feira, 24 de abril, na presença de lideranças de movimentos sociais, representantes de grupos, organismo da Igreja do Piauí e do Presidente da CPT Nacional, Dom Enemésio Lazzaris o Caderno de Conflitos no Campo 2016.

O lançamento aconteceu às 9hs, no Auditório Dom Sérgio Rocha, Centro de Pastoral Paulo VI, em Teresina (PI). O relatório Conflitos no Campo Brasil 2016 organizado pela Comissão Pastoral da Terra Nascional, desde 1985, chama a atenção para o aumento de assassinatos. O ano 2016 entra para a história como o ano com o maior número de assassinatos no campo em decorrência de conflito agrários, de luta pela terra e pela água, nos últimos 13 anos. O monitoramento da CPT registrou 61 assassinatos ano passado, 11 a mais que em 2015, com registro de 50 assassinatos. No Piauí, foram registrados 97 conflitos trabalhistas.

Segundo Teresinha Menezes, membra da CPT-PI, a comissão organiza estes dados anualmente a partir da necessidade de analisar os conflitos sobretudo no campo como forma de denúncia, que vem aumentando gradativamente. Organizando-o em três formas: Conflito de terra, água e trabalhista. “Estes dados são organizados durante todo o ano e identificamos uma crescente durante o ano de 2016. Crescendo 27% na região Nordeste” concluiu.