Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Regional Nordeste IV da CNBB realizou em Teresina a XXIII Assembleia Pastoral do Piauí. O objetivo da Assembleia foi de “suscitar a necessidade de integrar a mensagem do Evangelho na nova cultura provocada pelas novas tecnologias na Igreja do Piauí”. Segundo Dom Alfredo Schaffler, presidente do Regional, destacou que a Comunicação gera uma nova cultura, portanto, a mesma se torna imprescindível para os dias atuais.

As luzes evangelizadora da Igreja também foi destaque. A irmã Élide Fogolari, que participou dos três dias de encontro ressaltou a sua importância. “Sem a luz não somos nada, vamos deixar que essa luz nos introduza. Devemos sair daqui com essa luz para iluminar o mundo”, finalizou.

Confira na íntegra a carta final da Assembleia Pastoral do Regional Nordeste IV.

MENSAGEM AO POVO DE DEUS
“O que escutais ao pé do ouvido,
proclamai-o sobre os telhados!” (Mt 10,27)

-01. Nós bispos, presbíteros, diáconos, religiosos e religiosas, leigos e leigas e representantes dos organismos de pastorais e movimentos eclesiais das dioceses do Regional Nordeste IV da CNBB, reunidos em nossa XXIII Assembleia, nos dias 04 a 06 de julho de 2013, em Teresina-PI, queremos partilhar com as lideranças eclesiais e com todo o povo de Deus os temas tratados em nossa Assembleia.

-02. Na sessão de abertura, em sintonia com as “Luzes da ação evangelizadora” (2012-2015) elaboradas, no ano passado, na XXII Assembleia de Pastoral do Regional nos alegramos pelo testemunho de nossas dioceses, que empreenderam ações em favor do anúncio do evangelho e da transformação da sociedade. Por outro lado, entristece-nos o fato de que a população do semiárido continue a sofrer em decorrência da seca que continua a atingir o nosso estado. Lamentamos que as iniciativas governamentais se mostrem insuficientes para minorar a aflição de grande número de piauienses.

-03. Neste ano, tivemos como tema central a evangelização na atual cultura da comunicação. As reflexões e discussões nos levaram a perceber a importância de “saber utilizar o espaço dos novos meios de comunicação social, especialmente a internet, com suas inúmeras redes digitais, que se constituem em novos fóruns onde devemos fazer ressoar o Evangelho” (DGAE, 2011-2015). Entretanto, como nos recordou o venerável Beato João Paulo II na Redemptoris Missio, não basta apenas usar os meios de comunicação para difundir a mensagem cristã e o magistério da Igreja, mas se faz necessário integrar a mensagem cristã nesta nova cultura, criada pelas modernas mídias sociais.

-04. Para anunciar o Evangelho na nova realidade de comunicação, recomendamos que haja em todas as dioceses pessoas liberadas para o trabalho de comunicação; que se utilizem os espaços que nos são oferecidos na televisão, nas rádios de orientação católica, nos sites das paróquias, das dioceses, do regional e demais recursos humanos e técnicos para integrar e dar visibilidade as iniciativas de evangelização; que se elabore um projeto de formação que contemple a teoria e prática da comunicação, destinado a capacitação de novos comunicadores.

-05. A análise da conjuntura sócio religiosa do Piauí trouxe-nos alegria por constatar que o número de pessoas que se autodenominam católicas em nosso Estado (86%) supera a média nacional (64%). Entretanto, sabemos que a nossa ação evangelizadora atinge apenas parcialmente àqueles que se declaram católicos. Isso nos impõe a urgência de assumir a nova evangelização para transmissão da fé, através de uma pastoral decididamente missionária e da renovação de nossas paróquias para irmos ao encontro dos que são pouco alcançados por nossas iniciativas pastorais e daqueles que nem mesmo frequentam nossas Igrejas, particularmente os mais pobres.

-06. Confiamos a Virgem Maria, invocada entre nós como Senhora da Vitória, o êxito de nossas iniciativas pastorais e que ela nos ajude a fazer tudo o que seu Filho nos disser.

Teresina-PI, 05 de julho de 2013.