Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Reunidos em torno do altar do Senhor, na Igreja Catedral de Nossa Senhora da Vitória, dom Juarez Sousa, bispo da diocese de Oeiras, e todo o clero diocesano participaram na noite de segunda feira, 30 de março, da Missa dos Santos Óleos. Nessa missa foram abençoados os Santos Óleos que serão utilizados durante todo o ano pelos sacerdotes para ungir os fieis, na consagração de sacerdotes e altares. A Liturgia da Igreja privilegia três óleos, chamando-os de “Santos Óleos”: Óleo dos enfermos, Óleo dos catecúmenos e Óleo do Santo Crisma.

Nessa celebração os sacerdotes fizeram a renovação das promessas sacerdotais. Antes da Santa Missa os sacerdotes participaram de um momento de confraternização no Centro Diocesano de Pastoral Dom Expedito Lopes.

Os Santos Óleos, de modo particular o Santo Crisma, têm caráter sacramental. Antigamente, os Óleos eram guardados dentro de um pequeno sacrário, costume este que está voltando em muitas comunidades, como sinal de respeito.
As Bênçãos dos óleos são com finalidade sacramental, quer dizer, para uso no sacramento, devendo ser queimado logo em seguida. Não se benzem óleos pela rádio e nem mesmo nas missas para que as pessoas levem para as casas para ungir doentes.

O Óleo dos Catecúmenos concede a força do Espírito Santo aqueles que serão  para que possam ser lutadores de Deus, ao lado de Cristo, contra o Espírito do mal. Este óleo poderá ser abençoado pelo sacerdote, antes de ser usado. O Óleo dos Enfermos que, em caso de necessidade poderá ser abençoado pelo padre, antes da unção do enfermo, é um sinal sensível utilizado pelo sacramento da Unção dos Enfermos, que traz o conforto e a força do Espírito Santo para o doente no momento de seu sofrimento. O doente é ungido na fronte e na palma das mãos.

O Santo Crisma é um óleo perfumado utilizado nas unções consacratórias dos seguintes sacramentos: depois da imersão nas águas do batismo, o batizado é ungido na fronte; na Confirmação é o símbolo principal da consagração, também na fronte; depois da Ordenação Episcopal, sobre a cabeça do novo bispo; depois da ordenação sacerdotal, na palma das mãos do neo-sacerdote. Também é usado em outros ritos consacratórios, como na dedicação de uma Igreja, na consagração de um altar, quando o Santo Crisma é espalhado sobre o altar e sobre as cruzes de consagração que são colocadas nas paredes laterais das igrejas dedicadas (consagradas). Em todos estes casos, o Santo Crisma recorda a vinda do Espírito Santo.

A Missa dos Santos Óleos foi bem concorrida, com a participação da comunidade católica local, representantes e caravanas das diversas paróquias da diocese de Oeiras, bem como de turistas e visitantes que já visitam Oeiras nesta época do ano.