A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) Regional Nordeste 4 ouviu alguns palestrantes convidados para ministrar as oficinas e conferências do 2ª MUTICOM (Mutirão Regional de Comunicação), que vai acontecer em Oeiras nos dias 1, 2 e 3 de julho, com o tema “Educar para a comunicação em tempos de novas mídias”.

Para a professora de Jornalismo da UESPI (Universidade Estadual do Piauí) e coordenadora do curso de Comunicação Social na Faculdade R. Sá, de Picos, Lana Krisna de Carvalho, o evento visa compartilhar experiências sobre as práticas comunicacionais e construir conhecimento de forma colaborativa:

“Na oficina “Mídias institucionais, estratégias e conteúdos” vamos discutir sobre as estratégias direcionadas para cada tipo de mídia nas paróquias e dioceses, com um olhar humanizado e inovador, respondendo aos novos desafios da Igreja Católica, que busca cada vez mais estar presente, evangelizar e se aproximar dos fiéis”, diz a jornalista que também é mestre em Educação e especialista em Assessoria de Comunicação.

De acordo com o jornalista Hélder Felipe, que presta serviços para o Sistema Meio Norte de Comunicação e para o Portal Diário de Campo Maior, os trabalhos da Pastoral da Comunicação foram essenciais durante a pandemia, levando a Palavra de Deus aos lares das famílias num momento em que a Igreja precisou restringir a presença dos fiéis para evitar as aglomerações.

“Nós vimos como as transmissões das celebrações foram importantes principalmente durante a pandemia, quando as pessoas tiveram que ficar em suas casas isoladas, participando da missa apenas pelos meios de comunicação. Foi uma forma de promover uma Igreja em saída, como nos pede o Papa Francisco, levando essa mensagem de comunhão e fraternidade aos lares de todo o mundo”, destaca.

Ainda segundo o jornalista, a oficina de “vídeo e transmissões ao vivo”, vai provocar os agentes de pastorais para técnicas, recursos e tecnologias atuais que irão possibilitar uma transmissão de qualidade, mesmo em uma estrutura pequena, com poucos equipamentos, realidade enfrentada por muitas paróquias no Piauí.

Para a oficina “Criação e produção de artes institucionais”, a estudante de Jornalismo da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Emilianny Barbosa Pachêco, aposta num conteúdo teórico e prático, repassado de forma simples, que vai possibilitar a produção de peças criativas:

“Vamos ensinar por exemplo como ornar as fontes de texto, como pensar uma paleta de cores interessante, usar programas gratuitos e de fácil manuseio, a melhor forma de inserir o conteúdo nas redes sociais. Elaboramos uma ementa que inclui introdução, com conceitos e teorias importantes, e uma parte prática com técnicas para a confecção de material gráfico”, explica.

Também é aguardada com bastante expectativa a presença do coordenador nacional da Pascom Brasil, Marcus Tullius, que vai ministrar a oficina “Pastoral da Comunicação: Métodos de implantação”. 

“Iremos partir daquilo que propõe o guia de implantação da Pascom. Perceber a necessidade de se ter uma pastoral organizada, pensar num processo de sensibilização, conhecimento, formação e manutenção das propostas de comunicação para que a nossa caminhada pastoral tenha sentido. É um momento de troca de experiência, para que a gente possa viver esse crescimento, partindo sempre de cada realidade. Não há uma receita de bolo para a implantação. A gente indica caminhos para que cada um possa compreender a sua realidade”, afirma.

Marcos Tullius também vai palestrar na conferência “Cultura digital e midiatização: um novo modo de ser e viver em sociedade”, um tema bastante atual, que pretende integrar o agente de pastoral dentro de um contexto de interação e produção de conteúdo a partir de ferramentas e tecnologias digitais:

“Nesta conferência iremos estabelecer uma reflexão extremamente pertinente para nossos dias e principalmente para a Igreja. Somos afetados pelos processos de midiatização da sociedade. Não temos mais uma lógica de emissor e receptor, mas de produtores e consumidores de informação. Então iremos refletir trazendo à luz de alguns pensadores para nos ajudar a compreender e dar respostas práticas em nossa ação pastoral”, diz.

O radialista Claudevândio Macêdo falou sobre a oficina “Programa de rádio a serviço da pastoral e da comunidade – Podcast: ferramenta que pode agregar”:

“É um momento de formação, de troca de experiências e que vai possibilitar o engrandecimento de todos que estejam envolvidos. Entendo que a comunicação contribui para o desenvolvimento local a partir do momento em que uma comunidade coloca todo o seu potencial comunicativo a serviço do desenvolvimento pessoal, social, religioso, político, econômico, cultural de quem está integrado”, fala.

Ainda de acordo com o radialista, o Podcast é uma das ferramentas que mais têm se popularizado na atualidade. Trata-se de um recurso no qual é possível transmitir informações, através da internet, sobre assuntos diversos, inclusive conteúdo produzido por paróquias e dioceses:

“Nossa oficina vai procurar envolver todos os participantes, alinhando teoria e prática para produção de Podcast, uma ferramenta que tem se popularizado e faz parte da vida diária das pessoas, indispensável para o alcance do ouvinte. Trabalharemos técnicas de locução que fazem diferença num programa de rádio”, diz.

Também participarão do Muticom como palestrantes de oficinas: Thiago Amaral e Emanoel Ramos (Cobertura fotográfica de eventos religiosos), Marcianildes e Pe. Gildásio (Linguagem eclesiástica para a imprensa), Pe. Rogério Nascimento (A comunicação na liturgia), Pe. Leandro Pinheiro (Novas mídias como ferramentas para a catequese), Eulália Teixeira (Produção de texto), Moisés Sbardelotto (Media Training).

As conferências serão ministradas por Moisés Sbardelotto (Educar para a comunicação em tempos de novas mídias), Dom Joaquim Giovani Mol – Bispo Auxiliar de Belo Horizonte e Presidente da Comissão Pastoral Episcopal Pastoral para Comunicação da CNBB (Um olhar comunicacional sobre o apostolado do Papa Francisco), Pe. Leandro (Democratização, políticas de comunicação e suas implicações jurídicas) e Dom Edilson Nobre – Bispo de Oeiras e membro da Comissão Pastoral Episcopal para Comunicação da CNBB (Escutar com o ouvido do coração).