Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Defesa dos direitos, democracia, povo, luta cotidiana. Foi permeando estas palavras que a coordenação nacional do Grito dos/as Excluídos/as Brasil, reunida no dia 10 de fevereiro, em São Paulo, chegou ao lema da 23º edição: “Por direitos e democracia, a luta é todo dia”. Com o tema “Vida em primeiro lugar”, a maior articulação popular do Brasil deverá levar milhares às ruas durante a Semana da Pátria.

grito-dentroColaboradores de todo o Brasil enviaram sugestões para o lema. De acordo com Karina Pereira, da coordenação nacional do Grito, o lema não poderia deixar de levar em consideração toda a conjuntura política e social em que se encontra o país. “A coordenação levou em conta todo o contexto, a conjuntura em que estamos vivendo, e todas as discussões apontaram para este lema, da importância de lutar pelos direitos básicos, de manter nossa democracia e da luta que fazemos todos os dias”, disse.

Karina acrescentou que tema e lema da Campanha da Fraternidade 2017 também contribuiram para a escolha do lema do Grito. “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida’ e o lema ‘Cultivar e guardar a criação” são os tema e lema da CF 2017. “Acreditamos que estamos afinados nesse diálogo também”, completou.

Depois da escolha do lema, tem início uma série de articulações e mobilizações nos municípios. O 19º Encontro de Articuladores do Grito está marcada para os dias 19, 20 e 21 de maio em São Paulo. Também começarão a confecção da arte do cartaz, camisas e demais materiais que já fazem parte do processo, com o hino, eixos temáticos, chamadas de rádio, vídeos, etc.

 

O Grito dos/as Excluídos/as
O Grito, mais do que uma articulação, é um processo que tem com ponto máximo a Semana da Pátria, mais especificamente o Dia 7 de Setembro – Dia da Independência do Brasil. A proposta não só questiona os padrões de independência do povo brasileiro, mas ajuda na reflexão para um Brasil que se quer cada vez melhor e mais justo para todos os cidadãos e cidadãs. Assim, é um espaço aberto para denúncias sobre as mais variadas formas de exclusão.

Mais informações: (11) 2272.0627 – Secretaria Nacional Grito dos/as Excluídos/as
Rogéria Araújo: (85) 99619.2566 – WhatsApp – Rede Jubileu Sul Brasil
Facebook: grito.dosexcluidos

Fonte: Jubileu Sul Brasil