O bispo de Oeiras e secretário da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) Nordeste 4, dom Edilson Soares Nobre, celebrou o aniversário de 16 anos de dedicação da igreja catedral de Nossa Senhora da Vitória, nesta quinta-feira, dia 10 de agosto. A festa da padroeira iniciou no último sábado (5) e segue até o dia 15 de agosto.

Fieis celebram aniversário de dedicação da igreja no adro da catedral de Nossa Senhora da Vitória. (Foto: Dalva Carvalho)
Fieis celebram aniversário de dedicação da igreja no adro da catedral de Nossa Senhora da Vitória. (Foto: Dalva Carvalho)

“Este encontro é também revestido de motivações diocesanas: Os festejos da padroeira de nossa diocese e o aniversário de dedicação deste templo, cujos altares foram ungidos pelo então núncio apostólico, dom Lorenzo Baldisseri. Esta igreja (templo de pedra) é a casa mãe de nossa igreja particular. Ela é um sinal simbólico que nos remete à igreja (povo de Deus), constituída por todos os homens e mulheres que receberam a graça sacramental do batismo, como assim nos ensina o Concílio Ecumênico Vaticano II”, destacou dom Edilson no início da sua homilia.

O Clero diocesano de Oeiras celebrou com o bispo, dom Edilson Nobre, o aniversário de dedicação da catedral durante 6ª novena da padroeira. (Foto: Dalva Carvalho)
O Clero diocesano de Oeiras celebrou com o bispo, dom Edilson Nobre, o aniversário de dedicação da catedral durante 6ª novena da padroeira. (Foto: Dalva Carvalho)

Dom Edilson também lembrou que ser igreja exige perseverança na fé e a busca incessante por uma catequese verdadeiramente cristã, que supere o isolamento, o orgulho e o sentimento de autossuficiência: “Ser igreja exige de nós fé para reconhecermos a divindade de Jesus. Exige também catequese para que possamos evoluir nesta fé e não cair na tentação de abandoná-la em momentos de crise, de decepções. Deixemo-nos ser moldados pelo Espírito Santo para que sejamos confirmados na extraordinária e desafiadora tarefa de servir e de viver com entusiasmo, ardor, coragem e convicção esta grande missão”, disse.

As festividades de Nossa Senhora da Vitória seguem até o dia 15 de agosto, em Oeiras. (Foto: Dalva Carvalho)
As festividades de Nossa Senhora da Vitória seguem até o dia 15 de agosto, em Oeiras. (Foto: Dalva Carvalho)

Foi a partir dos limites desta igreja que a fé católica se disseminou por todo o estado. Além de ser padroeira de Oeiras, Nossa Senhora da Vitória é também padroeira do Estado do Piauí. Neste ano de 2023, o tema das festividades é ‘Maria vocacionada na graça e na missão’ e lema ‘Corações ardentes, pés a caminho’ (Lc 22,33-34), em sintonia com o 3º Ano Vocacional da Igreja no Brasil´.

Igreja catedral de Nossa Senhora da Vitória, em Oeiras. (Foto: Governo do Estado do Piauí)
Igreja catedral de Nossa Senhora da Vitória, em Oeiras. (Foto: Governo do Estado do Piauí)

A Igreja de Nossa Senhora da Vitória foi construída em 1733 e é a mais antiga de todo o Estado. A torre à direita de quem olha foi construída depois, por isso é diferente do resto da edificação. O relógio da torre veio da Inglaterra, em 1816, mas só foi colocado sete anos depois. A Igreja foi tombada pelo IPHAN em 1940.

Procissão do Fogaréu, em Oeiras. (Foto: Governo do Estado do Piauí)
Procissão do Fogaréu, em Oeiras. (Foto: Governo do Estado do Piauí)

As manifestações de fé em Oeiras têm tamanho superlativo, sendo todo o ritual que envolve a Semana Santa, o mais marcante. A procissão de Bom Jesus dos Passos é realizada uma semana antes da procissão do Senhor Morto, que acontece na Sexta-Feira da Paixão. A manifestação mais emblemática é a procissão do fogaréu, que encena o momento em que os soldados romanos saem a procura de Jesus Cristo para prendê-lo e crucificá-lo. Nesta ocasião, todas as luzes da cidade são apagadas, sendo a única iluminação a das lamparinas que são carregadas por milhares de homens durante a procissão.