Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Padres, diáconos, representantes de grupos e pastorais, além de toda a comunidade de fé da Arquidiocese de Teresina estiveram reunidos na Catedral de Nossa Senhora das Dores na noite da última segunda-feira (11) para a celebração da Missa dos Santos Óleos. Durante a Eucaristia, que foi presidida por Dom Jacinto Brito, os sacerdotes renovaram as promessas sacerdotais pronunciadas no dia da ordenação.

A celebração iniciou às 19h e contou com a presença dos fiéis, que em oração, acolheram todo o clero de Teresina. É nessa solenidade que o bispo abençoa os óleos dos catecúmenos e dos enfermos (usados na preparação do batismo e na unção dos enfermos, respectivamente), e consagra o óleo do Santo Crisma, usado para a unção no Sacramento da Ordem (padres e diáconos) e na confirmação do batismo (Crisma).

Em sua homilia, Dom Jacinto destacou a importância da unidade da Igreja de Cristo e que não se pode haver exclusões, pois todos são irmãos que devem ser acolhidos, amados e servidos. “É o Sacramento da Ordem que nos qualifica. Não é o país em que nascemos, a cor da pele ou a cultura. Agora esses óleos que aqui foram abençoados serão distribuídos em todas as paróquias e ao longo do ano serão utilizados no batismo e na crisma, na unção dos enfermos e nas ordenações dos padres ou de bispos”, destacou o arcebispo.

Nessa importante celebração, a Igreja também expressa a união dos fiéis leigos e leigas, diáconos e padres junto ao bispo. Os sacerdotes presentes renovaram os compromissos sacerdotais. E os casais que comemoram bodas de prata esse ano também renovaram o compromisso matrimonial, como forma de mostrar que todas essas alianças de amor com Deus são significativas e que cada uma, ao seu modo, é uma vocação.

Conforme o padre Antônio Carlos, pároco da Paróquia São Francisco de Assis, em Valença do Piauí, esse é um momento especial em que cada um desses homens de fé puderam reafirmar os propósitos para o qual foram chamados. “Foi um momento sublime, porque memoramos aquele dia tão importante pra nós que recebemos o Sacramento da Ordem. Neste momento renovamos com todo o ardor e com muito amor este compromisso com o propósito de seguir os passos de Jesus Cristo”, relatou.

A médica Aldecy Dantas revelou que se sente enriquecida por estar presente em uma celebração tão importante e que tem um significado profundo. “Me sinto feliz, pois essa  não é só a benção dos óleos sagrados, mas também uma forma de mostrar essa unidade da Igreja. Estamos todos aqui todos sendo congregados pelo bispo, cada um com a sua vocação, em torno do Altar do Senhor”, relatou.

Lançamento do novo Brasão da Arquidiocese de Teresina 

Durante a celebração, Dom Jacinto Brito apresentou para todos os que estavam presentes o novo brasão da Arquidiocese de Teresina. Este é o quarto brasão que a Igreja Particular de Teresina dispõe ao longo desses mais de um século de existência.

O novo brasão é constituído por um escudo de ouro. Ao centro, um coração em chamas transpassado e uma coroa de espinhos, evocando assim, a padroeira da Catedral de Teresina, Nossa Senhora das Dores. O escudo repousa sobre a mitra, representando a autoridade espiritual e a dignidade episcopal. À esquerda, é retratada a Cruz de Lorena, que representa o grau hierárquico da Arquidiocese, e à direita, o báculo, símbolo do pastoreio que faz alusão ao Cristo Bom Pastor. Sob o escudo, o pálio episcopal, que está ligado ao juramento de lealdade ao Papa e seus sucessores pelos metropolitas.

Conforme o designer gráfico Matheus Nunes, o novo brasão foi projetado após um longo período de estudo e leitura junto ao padre Nery, arquivista da Cúria de Teresina. “O que muitos se perguntam é se nossa Arquidiocese já possuía um brasão. Com propriedade no assunto, posso dizer que não. Depois de analisar os documentos da criação do bispado do Piauí, notei que nenhum deles possuía um timbre próprio, sendo assim, assinados pelo brasão episcopal dos bispos reinantes. Procurei manter a unidade ao selo e não mudar a nossa identidade durante a confecção do brasão que me foi solicitada após a aprovação junto ao Conselho Presbiteral”, explicou.

Fonte: Arquidiocese de Teresina