Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

 

 

Caríssimos presbíteros, religiosos, religiosas, fiéis leigos e leigas.

Considerando o Decreto Estadual e os Decretos dos municípios, circunscritos à nossa Diocese de Floriano, sobre as medidas a serem adotadas para a prevenção e o enfrentamento da emergência de saúde pública, decorrente do COVID-19, também conhecido como o novo coronavírus, as recomendações dos especialistas de saúde e, em colaboração com as autoridades públicas, como Pastor que zela por suas ovelhas, deixo-vos os seguintes encaminhamentos práticos que considero indispensáveis:

 

  1. Todos os párocos e ou administradores paroquiais, seguidos pelos fiéis, acolham com atenção as orientações que estão sendo dadas pelas autoridades competentes. Mesmo quem não esteja entre os mais expostos ao perigo do contágio, acolham as recomendações como uma contribuição em vista do bem de todos. Nas circunstâncias atuais, nenhum cidadão pode achar que é problema seu ser contaminado e que isso não é da conta de ninguém. Todos temos responsabilidades com o coletivo e, por isso, somos obrigados a seguir as orientações.
  2. Diante da impossibilidade de garantirmos, em nossos espaços, as pias para lavar as mãos com frequência; o álcool em gel; as toalhas de papel e a frequência necessária da limpeza dos nossos ambientes, ficam suspensas as reuniões pastorais, as assembleias paroquiais, a catequese de crianças, adolescentes e jovens. Da mesma forma, ficam suspensas as concentrações de fiéis para as missas dominicais e aquelas previstas para as comemorações da festa de São José. Os padres devem celebrar nos horários e dias previstos, mas com um pequeno grupo de fiéis e com auxílio da PASCOM para a transmissão das missas. Esta medida é válida por 15 dias.
  3. Seguindo a prática do Papa Francisco e a sugestão da CNBB, recomendamos a utilização dos recursos tecnológicos disponíveis para a transmissão de missas com, no máximo, 10 pessoas. Os fiéis sejam orientados para acompanharem a missa de casa, em comunhão com a comunidade. É importante intensificar as orações em família.
  4. Idosos e enfermos estão dispensados do preceito dominical, devendo permanecer em casa, podendo rezar acompanhando a Missa e fazendo a sua comunhão espiritual.
  5. Considerando que estamos no tempo quaresmal, vivamos a graça da conversão, caminhando rumo à Páscoa, assumindo a Campanha da Fraternidade com um olhar ainda mais especial para a vida que é dom de Deus e compromisso de todos nós. Tenhamos a atitude do Bom Samaritano que “VIU, SENTIU COMPAIXÃO E CUIDOU…”.

 

Peçamos a Deus, com a intercessão de Nossa Senhora da Saúde, que Ele nos guarde e nos proteja dessa pandemia e de todos os outros males.

 

Floriano (PI), 17 de março de 2020

 

Dom Edivalter Andrade

Bispo Diocesano