Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O Sudão do Sul, o mais jovem país do mundo não tem paz. O país Africano, com uma população maioritariamente cristã, obteve a sua independência ao separar-se do Norte árabe e muçulmano em 2011, mas no final de 2013 mergulhou num conflito civil causado pela rivalidade entre o presidente, Salva Kiir, e o seu então vice-presidente, Riek Machar.

O país localizado no centro de África vive atormentado pela violência e pela fome. Diante dessa realidade, a Jornada de Oração e Missão promovida pela Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que sofre (ACN), vão dedicar a terceira edição da jornada de oração à paz no Sudão do Sul, que será realizada no próximo dia 1º de junho.

“Vi acontecer a independência do Sudão Sul em 2011 depois de mais de cinco décadas de luta sangrenta contra o Sudão. Desde então passou a ser República do Sudão do Sul. Porém, a situação caótica e violenta continuou; mas, agora entre etnias que deveriam ser irmãs”, conta a assessora da comissão, Irmã comboniana Sandra Amado.

Padre Christian Carlassare. Foto: arquivo pessoal

No final de abril, o recém eleito bispo de Rumbek, padre italiano Christian Carlassare – missionário comboniado foi baleado nas pernas em um ataque no Sudão do Sul. Segundo informações do Vatican News, o religioso ferido nas pernas por dois agressores, que o atacaram no quarto onde dormia, na madrugada de 26 de abril.

De acordo com o Vatican News, o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, pediu às autoridades locais uma rápida investigação do ataque que leve à captura dos criminosos que feriram o padre Christian. “As autoridades não permitirão – disse Salva Kiir – que a ação de uns poucos criminosos condicione os projetos da Igreja”.

Para Irmã Sandra Amado, a Igreja local lá é também desafiada à conversão para encarnar o Evangelho em duro solo. Ela conta que conheceu o padre Christian Carlassare jovenzinho no Sudão do Sul. “Um sorriso sempre aberto e olhar profundo. Fez experiência bonita se inserindo na vida do povo Nuer por mais de 15 anos”, ressalta.

Padre Christian segue internado em Nairóbi, no Quênia, fora de perigo. Aos 43 anos de idade, o missionário italiano é o bispo mais jovem do mundo à frente da diocese. A ordenação episcopal marcada para o próximo domingo, 23 de maio – Domingo de Pentecostes, foi entretanto adiada.

Para mim, fica a imagem do Christian sentado numa cama do hospital local com um maço de flores nas mãos, rodeado por amigos e locais com olhares de ternura para essa criatura antes que fosse removido para outro centro para tratar dos ferimentos. Apesar de tudo, padre Carlassare convocou todo o seu povo a trabalhar com ele num processo de reconciliação. Ele assegura, ‘Por enquanto, minhas pernas feridas não podem andar ao vosso encontro; mas, meus braços estarão sempre abertos ao abraço do perdão e da paz!’. Isto é sinal vivo e forte da esperança de paz para esta nação. Que as nossas orações possam ajuda-los a trilhar os caminhos da paz duradoura”, destacou Irmã Sandra.

Padre Carlassare gravou um vídeo onde faz um apelo ao perdão e unidade para os seus diocesanos e todo o povo sudanês.

Veja o vídeo na íntegra:

Tradução livre da carta: padre comboniano José da Silva Vieira

Papa beija os pés dos líderes do Sudão do Sul pela paz

No dia 11 de abril de 2019, ao final de seu discurso de encerramento do retiro espiritual para os líderes do Sudão do Sul, o Papa Francisco inclinou-se para beijar os pés dos líderes do país reunidos para a iniciativa de paz. Entre eles, o presidente da República do Sudão do Sul, Salva Kiir Mayardit, e aos vice-presidentes designados, entre os quais Riek Machar e Rebecca Nyandeng De Mabio. No encontro o Papa confirmou seu desejo de ir ao Sudão do Sul.

“Confirmo o meu desejo e a minha esperança de poder ir ao vosso amado país num futuro próximo, com a graça de Deus, junto com os meus queridos irmãos aqui presentes”, disse Francisco.

O Papa Francisco exortou os líderes políticos do Sudão do Sul a cumprirem o compromisso de paz que assinaram no ano passado, rezando com eles hoje após dois dias de um retiro espiritual sem precedentes no Vaticano. E acrescentou improvisando:

“A vocês três que assinaram o Acordo de Paz, peço-lhes, como irmão, que permaneçam na paz. Peço-lhes com o coração. Vamos seguir em frente. Haverá muitos problemas, mas não tenham medo, vão em frente, resolvam os problemas. Vocês iniciaram um processo: que termine bem. Haverá lutas entre vocês dois, sim. Que elas ocorram dentro do escritório; diante do povo, as mãos unidas. Assim, de simples cidadãos, vocês se tornarão Pais da Nação. Permitam-me pedir isso com o coração, com os meus sentimentos mais profundos”, disse o Papa

Veja a íntegra do encontro:

Com informações do Vatican News e ACN

Tags: