Acontece, de 23 a 25 de junho, no Centro de Treinamento Padre Tony Batista, em Teresina-PI, Encontro Regional de Liturgia. O evento é promovido pelo Regional Nordeste 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e conta com a participação do bispo de Paranaguá-PR e presidente da Comissão Episcopal para a Liturgia da CNBB, Dom Edmar Peron.

Também participam o bispo referencial para a Liturgia no Regional NE 4 e bispo de Bom Jesus do Gurgueia, Dom Marcos Tavoni e os mestres em Sagrada Liturgia, padre João Paulo Veloso, da Arquidiocese de Palmas-TO e do padre Jucilei Lima da Diocese de Bom Jesus do Gurgueia-PI. Estiveram presentes o arcebispo metropolitano de Teresina, Dom Juarez Marques Sousa da Silva e o arcebispo emérito, Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho.

O tema do encontro foi ‘A beleza da Liturgia’ e contou com um estudo da 3ª edição do Missal Romano e da Carta Apostólica Desiderio desideravi sobre a formação litúrgica.

“É um momento oportuno para reunir as dioceses do estado, cada uma com seus representantes, porque isso faz com que as sementes do encontro sejam plantadas entre as diversas realidades. A ideia de unir uma reflexão séria da Desiderio desideravi e a tentativa de compreensão da 3ª edição do Missal Romano, sem dúvidas, vai possibilitar a todos formação, conhecimento e uma maior profundidade e contemplação do mistério de Cristo”, destacou Dom Edmar Peron.

Para Dom Edmar, a liturgia não deve ser resumida apenas a símbolos, ritos e gestos, mas deve ser compreendida como um caminho para mergulhar ne Eucaristia pela ação: “A liturgia não é apenas um conjunto de regras a serem seguidas ou de protocolos a serem observados, portanto não é apenas mero ritualismo ou formalismo. É preciso entender a liturgia como um caminho que proporciona uma maior conexão com Deus. Ela é a razão da nossa fé, é o itinerário por meio do qual a Igreja faz a experiência da salvação”, disse.

Ainda de acordo com Dom Edmar, a liturgia não pode receber qualquer tipo de influência ideológica sob risco de ultrajar o seu verdadeiro sentido: “Os ritos litúrgicos deve estar acompanhados de um dinamismo teológico e eles não podem ser cooptados por visões ideológicas, sejam elas de mundo, políticas, ou de sociedade, etc. O sentido da liturgia não é doutrinar, mas evangelizar, ou seja, oferecer a possibilidade de um encontro com Jesus, de vivermos os mistérios da sua morte e ressureição e alcançar a graça da salvação”, falou.

O padre João Paulo Veloso defendeu que o evento conseguiu suprir a demanda sobre formação litúrgica na Igreja do Piauí: “Este evento foi preparado com muito carinho e muito esmero. Ficou evidentes através da alegria, do entusiasmo das pessoas. Existe uma demanda sobre formação litúrgica na Igreja e este evento pensado pelo Regional NE 4 vem de encontro a essa demanda. Este é um desejo do Papa Francisco de poder formar as pessoas para a celebração e a partir da celebração, por isso, a importância deste evento que, com certeza, será um marco para a Igreja do Piauí”, destacou.