Com o tema ‘Maria, vocacionada de Deus e mãe da igreja sinodal’, a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, de Bertolínia-PI, promoveu, de 05 a 15 de agosto, o 224º novenário da padroeira. A festa é uma das mais tradicionais da Diocese de Floriano e reúne, todos os anos, milhares de fiéis e devotos para festejar a mãe de Deus.

Recepção da imagem tricentenária de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, no incício do novenário. (Foto Kalio Veloso)
Recepção da imagem primitiva de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, no início do novenário. (Foto: Kalio Veloso)

O bispo diocesano de Floriano, dom Edivalter Andrade, participou da solenidade. Ele agradeceu o convite para celebrar a festa e também as bodas de prata de instalação da paróquia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em Bertolínia: “É uma alegria celebrar os 25 anos de instalação desta paróquia. Nestas terras, Maria deixou os seus sinais, a sua marca, e, até hoje, aqui está a interceder pelos bertolinenses, distribuindo inúmeras graças. Tudo isso é parte do projeto de Deus. Vamos todos juntos fazer um movimento nesta direção, a de corresponder a este amor, que salva e liberta”, disse.

Dom Edivalter Andrade, bispo de Floriano, preside 8ª novena em honra à Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em Bertolínia.
Dom Edivalter Andrade, bispo de Floriano, preside 8ª novena em honra à Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em Bertolínia. (Foto: Kalio Veloso)

Em sua homilia, dom Edivalter destacou que esta edição da festa da padroeira, simultaneamente às celebrações pelos 25 anos da paróquia, é a oportunidade mais que perfeita para promover a comunhão fraterna e o despertar à missão: “Celebrar 25 anos de caminhada nos faz mais sensíveis e engajados para abrir os nossos corações a novos horizontes e, assim, construirmos um mundo melhor e mais fraterno”, falou.

Multidão de fiéis e devotos festejam a Mãe de Deus em Bertolínia.
Multidão de fiéis e devotos festejam a Mãe de Deus em Bertolínia. (Foto: Kalio Veloso)

Dom Edivalter reforçou ainda que a comunidade precisa ser cada vez mais acolhedora e atenta às necessidades do outro: “Não podemos ser cristãos individualistas, a procura de soluções apenas para nossos problemas pessoais. Desvincular-se de Jesus, afastar-se da comunidade, nos expõe a grandes riscos e perigos. Devemos ser parte de uma igreja em saída, em estado permanente de missão, em que o outro e as suas necessidades importam”, frisou.

Padre Aldemar, dom Edivalter e padre Elias.
Padre Aldemar, dom Edivalter e padre Elias. (Foto: Kalio Veloso)

O pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Bertolínia, padre Aldemar, diz que a grandiosidade da festa é fruto do trabalho de toda a comunidade: “A devoção à Nossa Senhora em Bertolínia é uma forte expressão popular de fé e de religiosidade. A cada ano, aumentam as manifestações e os testemunhos de moradores que recorrem à intercessão de Maria para alcançar graças. Essa festa é preparada a muitas mãos. Toda a comunidade procura participar ativamente, e, é por causa dessa integração, que nós conseguimos realizar um dos maiores festejos religiosos do Sul do Piauí”, comentou.

Dom Edivalter deposita flores no andor de Nossa Senhora da Conceição Aperecida.
Dom Edivalter deposita flores no andor de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. (Foto: Kalio Veloso)

Presente nas celebrações, o pároco da Paróquia Santa Bernadette, de São Paulo-SP, padre Elias Honório de Castro, agradeceu a receptividade que recebeu da comunidade e destacou o entusiasmo na fé dos bertolinenses: “Foi gratificante retornar às minhas origens, às minha raízes e ver toda a comunidade reunida para celebrar a força de Nossa Senhora, ela que é intercessora e co-redentora. Foram dias memoráveis, em que pude sentir o ardor da devoção dos romeiros, na simplicidade do povo, de uma cidade pequena, nas onde a fé permanece viva”, disse.

Padre Elias Honório de Castro, da Paróquia Santa Bernadeth, de São Paulo-SP, preside celebração em honra à padroeira de Bertolínia. (Foto
Padre Elias Honório de Castro, da Paróquia Santa Bernadeth, de São Paulo-SP, preside celebração em honra à padroeira de Bertolínia. (Foto: Kalio Veloso)

Como surgiu a devoção à Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em Bertolínia-PI

A devoção católica à Nossa Senhora, em Bertolínia, remonta ao ano de 1799, século XVIII. De acordo com a historiografia, a imagem apareceu no local em que fora construída a igreja. Apesar de receber o título de ‘Nossa Senhora Aparecida’, a imagem representa Nossa Senhora da Assunção, mas ficou conhecida por Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em razão do seu aparecimento. No local, fiéis fazem orações e preces e o local se tornou uma espécie de santuário popular, embora não tenha da Igreja Católica o reconhecimento e o título de santuário.

Ryan Andrade, da assessoria do Regional, em colaboração com Ytalo Saraiva e Kalio Veloso, da Pascom de Bertolínia